sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

NO FIM DA LINHA



      

Tomarei uma dose pura de ouro.
Enriquecerei meu espírito deixando mais puro.
Hibernarei em meu próprio corpo.
Sentindo sensações impossíveis de explicar.
Aumentando o ritmo do coração em meu peito.
E entre nuvens de fumaça.
E em águas correntes e quentes flutuar.
Sinto que jogara um feitiço em  mim.
Meus olhos minha pele no vício da vida.
Vejo cair do céu  faíscas em forma de raios.
No auge de cada segundo fico contemplando.
O nascer e por do sol como exigência absurda.
Que egoisticamente no cotidiano não observamos.
Como não percebemos a dor insana.
A fragilidade e a maldade humana.
Numa fraqueza da esperança na alma.
Tentando compreender  tudo pacientemente.
Entender que o tempo é temporal.
E nossa vida é mortal.

Autora: Solange Netto Andrade
21/06/2012


PALAVRA DOCE

          

Quando olho para dentro do amor penso.
Amor não julga o coração só releva a emoção.
Não obriga nem dá lugar à desilusão.
Amor é doação não espera retribuição.
Oculta o pensamento anula raciocínio dos sentimentos.
Tanta adversidade se descobre no amor.
Vivencia-se a dor invisível que sente.
Esconder-se ocultando em todo canto e lugar, em prantos.
Chorando soluçando sem conter-se da dor.
Sentindo este amor machucado.
Tornei-me fortalecida e sem fraquejar suportei.
Diante do espelho beijei meu rosto.
Acariciei minha face em lágrimas.
Toquei meu cabelo delicadamente.
Decidi viver intensamente a saudade.
Que é o único sentimento que fica.
Saudade é como vento que deixa o cheiro da flor.
Saudade é verdadeira, doce e eterna.
Espera tenha paciência que o resto passa.


Autora: Solange Netto Andrade
25/01/2012