quinta-feira, 28 de junho de 2012

ESTRANHO VAZIO

                     
               
Algo estranho eu estou sentindo.
Juro que não sei explicar sinto um vazio.
No mundo nas pessoas nas coisas.
Sinto pressentimentos e calafrios.
Quero compreender este momento.
Como que renunciando meu coração.
Recolhendo ao meu silêncio.
Relembro caminhos de pedras.
Das marcar das amarguras.
Com cicatrizes guardadas.
E lágrimas sofridas jogadas ao vento.
Marcas profundas ficaram em meu coração.
Esforço-me tentando sustentar e suportar.
As dores mais temidas da morte.
Ver partir uma vida querida.
Mas as lágrimas que choro agora.
Acalma minha alma deixando-me serena.
Neste instante, não é estranho este vazio.
É uma saudade estranha e eterna.

Autora: Solange Netto Andrade
27/01/2009

terça-feira, 26 de junho de 2012

CORTINA

                        
                        

Não sou teatro.
Não uso fantasias.
Não posso trocar a face igual à roupa.
Não é permitido ensaiar a vida.
Então cante quando estiver alegre.
Dance quando ouvir uma música.
Comemore as coisas que deram certo.
Chore intensamente quando sentir vontade.
Pense somos apenas momentos.
Seja amante das coisas boas.
Tenha discrição nas horas difíceis.
Lute e encontre toda a sorte.
Nos dias infinitos que terá.
Veja no sol e na lua um divisor.
Como cortina que separa seu dia.
Sorria para esta vida real.
Antes que a cortina feche.
Pois definitivamente um dia fechara.

Autora: Solange Netto Andrade
05/04/2001

sexta-feira, 22 de junho de 2012

DISPERDICIO

                   


Há dias que penso no desperdício do tempo.
Onde amamos menos quem devíamos.
Limitando a força que temos.
Com nossa prudência nada arriscamos.
Não separamos a hipocrisia da verdade.
O esbanjamento de coisa material.
Esquecemos-nos de valorizar a vida.
Não percebemos a água implícita secando.
O beijo tático da sede infinita.
Desperdício é tentar misturar o azeite e água.
Ficar na inércia esgotando a mente.
Na prudência egoísta perdendo a felicidade.
Ignorar a experiência vivida.
Na procura de desvio cair no precipício.
Perder tempo desperdiçando idéias.
Pois nem os erros são desperdício.
Viva a abundancia de seu dia.

Autora: Solange Netto Andrade
16/12/2011

RIACHOS

                
                    

Se alguém bloquear meu coração.
Não gastarei energia com confronto.
Buscarei novos encontros.
Sinto meu coração como água.
E minha sabedoria feito rios.
Deixo as coisas acontecerem.
Não fico com quem me faz chorar.
Contorno como os rios minha vida.
Crio riachos buscando caminhos.
Largas esperanças e encantos.
Navego e deixo correr como sangue na veia.
Levando e mandando embora a nostalgia.
Aproveito este riacho encantado.
Relaxo e deixo esta dor estendida.
Entre a relva e a selva.
Faço dormir esta vida deprimida.
Acordo e rego esta vida merecida.

Autora: Solange Netto Andrade
15/01/2010

domingo, 17 de junho de 2012

SITE TIA TETÊ

                        /album/galeria-de-fotos/dsc01131-jpg1/

http://garioil.webnode.com/

Família este site é da Tia Tetê (Irmã de José Macedo)
Está com produção de ÓLEO DE COCO.
Entrem no link acima e conheça os benefícios e vamos prestigia-la.
Grande beijo a todos.

quinta-feira, 7 de junho de 2012

BEM E O MAL


             
Quem do mal querer e do bem viver.
E de tolices mil quantas más ações.
Deixei de cometer a cada dia.
Olhando para o céu e compreendendo o infinito mistério.
Penso em gravar minhas memórias num cristal.
Desejando acender mil lâmpadas.
Mas sei que apenas uma vela iluminará minha vida.
Tenho convicção que a felicidade não míngua quando compartilhada.
Somos resumo de palavras ditas e ouvidas.
Que perfuma a alma e perfura o coração.
Vivemos paixões que nos consome.
Na constante perseguição dos dias infindáveis.
Estando do amanhecer ao anoitecer.
Abraçando oportunidades e aproveitando.
Tentando compreender o que é verdadeiramente viver.
Mergulhando no desconhecido ultrapassando o entendimento.
E sobrevivendo o bem e o mal.
Tornando meus dias mais felizes com o bem.

Autora: Solange Netto Andrade
08/01/2009

ETERNO AMIGO


           Amigos
Aquele que cabem na palma da mão.
Amigos que sabem quem eu sou.
Meus amigos da infância até a velhice.
Peço amigos que suportem minhas angustias.
E aquentem comigo o dia ruim.
Quero amigos sérios e fieis.
Mas que acredita na fantasia e na magia da vida.
Meus amigos devem ser loucos e santos.
Quero sua maior alegria.
Mas também darei meu ombro e colo.
Quero risos imprevistos e alegres.
Escolho amigo de alma não de cara.
De pele e brilho como a pupila.
Deles não quero duvidas e sim certezas.
Busco nos amigos humildade e perdão.
Para isso precisamos ser bobos e sérios, crianças e velhos.
Sermos sempre eternos amigos.


Autora: Solange Netto Andrade
18/04/2011


segunda-feira, 4 de junho de 2012

SOMBRA DA PAZ


                             white dove in flight 1

Invictos são os desejos de realização.
Se não posso mudar as circunstâncias.
Enxergando um futuro obscuro.
Ergo meus sonhos e ideais e mudo.
Meu coração inspirador me torna pronta.
A ouvir uma canção deslumbrante.
E tudo muda e temos que mudar com elas.
Não posso esperar isto dos outros.
Dentro de mim meu espírito domável.
Meu pensamento amável e tranqüilo.
Não me importo se o portão é estreito.
Farei o possível para transpassá-lo.
Eu sou dona de minha alma.
Galgarei dias livres sem preocupação.
E descansarei na sombra da PAZ.

Autora: Solange Netto Andrade
13/02/2012