sexta-feira, 7 de junho de 2013

VAI QUERIDA


Bebeu as lágrimas dos meus olhos que ninguém via.
A morte voltou e levou meu silêncio.
Trouxe a dor da saudade noite e dia.
O vento soprou e também me  levou.
Levou minha querida e minha alegria.
Levou meu amor e o meu coração.
Levou retratos, lembranças e meus sonhos.
O vento soprou e também me  levou.
Olhei no espelho para me ver.
Vi o vazio em meu peito da culpa do que nem lembro.
Brota solidão e tristeza.
Que me cravou neste mês.
Vai leva tudo, escancara a alma.
Perverso e mortal que tira do umbigo da gente.
Como rompendo a placenta da noite para o dia.
Estanca a dor e vira ao verso real.
Leva a vida de minha querida.

Autora: Solange Netto Andrade
04/03/2013


Nenhum comentário:

Postar um comentário